Justiça admite erro em GPS e Polícia Penal confirma que Joares Ponticelli não esteve na prefeitura

O ex-prefeito de Tubarão não descumpriu a medida cautelar, como informa a DPP


A Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa de Santa Catarina, por meio do Departamento de Polícia Penal (DPP), enviou um ofício para a Justiça confirmando erro nas informações envolvendo Joares Ponticelli. As informações são da UNITV.

Em uma notícia veiculada em portais da região, foi especulado que o ex-prefeito de Tubarão esteve na prefeitura, descumprindo uma medida cautelar imposta contra ele. Joares é investigado na Operação Mensageiro, considerada a maior investigação de combate à corrupção em SC.

Na notícia que foi divulgada nessa terça-feira (11), Joares teria “visitado” a prefeitura no dia 28 de março. No entanto, o ofício confirmou que houve um erro no sinal do GPS, sendo “constatada a variação”. O sistema acabou atingindo a área de exclusão, que seria a prefeitura.

O ofício confirma o erro e o órgão, responsável pelo monitoramento das tornozeleiras eletrônicas, o órgão solicitou a desconsideração do registro.

Confira a nota na íntegra:

“Com relação à violação de ev. 1979.2, após reanalise do evento, foi constatada a variação de sinal GPS, fazendo que o sistema lançasse um ponto de reflexão que, coincidentemente, atingiu a área de exclusão.

As informações da petição de ev. 1982.1 corroboram para confirmar a reflexão de sinal. Assim, solicitamos a desconsideração do registro informado no ev. 1979.2, uma vez que ocorreu reflexão de sinal e o acusado não esteve no local indicado. Por fim, informamos que esta Unidade tomou ciência da decisão de ev. 1844 no ev. 1850 e da decisão de ev. 1996 no ev. 1998.

Para tanto, anexou-se link das imagens da câmera de segurança de seu hall privativo (única saída de seu apartamento), registradas a partir das 08h01min35seg do dia 28/03/2024 e que mostram a primeira movimentação somente às 09h20min15seg, quando a faxineira entra em seu hall privativo para deixar um jornal, sendo que o requerente somente aparece às 09h52min40seg para buscar o periódico, este ainda não havia saído de sua residência. O requerente efetivamente deixou seu apartamento somente às 11h24min50seg, descendo pelo elevador.”

Envolvimento na Operação Mensageiro

Joares Ponticelli, ex-prefeito de Tubarão, foi preso na terceira fase da Operação Mensageiro, no dia 14 de fevereiro de 2023. Com ele, o ex-vice-prefeito, Caio Tokarski, também foi detido pelo GAECO.

Após cinco meses, Joares foi solto no dia 29 de junho de 2023, e desde então cumpre medidas cautelares. Caio foi solto no dia 1ºde setembro de 2023. Ele também cumpre medidas cautelares.

Operação Mensageiro na Amurel

A Operação Mensageiro investiga fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro no setor de coleta e destinação de lixo.

Das 18 cidades da Amurel, quatro delas tiveram políticos presos. Joares Ponticelli e Caio Tokarski, ex-prefeito e ex-vice-prefeito de Tubarão; Deyvisson de Souza, ex-prefeito de Pescaria Brava; Vicente Corrêa Costa, ex-prefeito de Capivari de Baixo e Patrick Corrêa, prefeito de Imaruí, que retornou ao cargo em março.

Receba esta e outras notícias no WhatsApp. Clique aqui para entrar no grupo Rádio e TV Tubá – Notícias. 

Instagram

Facebook

© 2024Todos os direitos reservados Rádio e Tv Tubá.

Precisa de ajuda?