Ouça Ao Vivo Ouça Ao Vivo
« Voltar

Notícias 3ª edição da Feira CasaPronta começa nesta quarta em Tubarão

Cerca de 85 entidades e empresas participarão da terceira edição da CasaPronta Tubarão, a feira da construção, do mobiliário e da decoração, que acontece entre 21 e 25 de maio, no Cecontu. Realizado pela Nossacasa Feiras, o evento deste ano contará com diferentes expositores, que mostrarão seus produtos e serviços aos aproximadamente 30 mil visitantes que devem passar pelo local durante os cinco dias.

Entre eles está o Sindicato da Indústria da Madeira e do Mobiliário da Região da Amurel (Sindimad). A intenção ao participar CasaPronta, conforme o presidente Alexsandro da Cruz Barbosa, é mostrar o quanto as construções de madeira podem ser benéficas e duráveis. “De uns quatro anos para cá, quando alguns planos de financiamento do Governo Federal foram lançados, a procura pelos imóveis de madeira declinou. Um dos objetivos de estar no evento é valorizar as edificações, além de mostrar às empresas do setor quais são os benefícios em se associar ao sindicato”, pontua.
O Sindicato da Madeira, assim como outros cinco exporão junto ao estande da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc). A entidade, composta por sindicatos patronais, trabalha para fortalecer as empresas e indústrias no Estado, com foco na educação. Conforme o presidente da Regional Sul da Fiesc, Alfredo Piotrovski, hoje são seis filiados. “E isso oportuniza uma série de benfeitorias aos empreendimentos do seguimento”, garante.
Somente o Sindicato da Madeira e do Mobiliário agrega 43 empresas na Amurel. São esses números, de acordo com Barbosa, que tornam a região Sul de Santa Catarina um polo quando se trata de construção à base de madeira. “Temos uma grande quantidade de fornecedoras no seguimento. Como os nossos clientes são muito exigentes, é necessária a qualificação das empresas. Por isso nossas prestadoras de serviço apresentam produtos tão primorosos”, conta.

Barbosa aponta, ainda, que apesar de as construções terem tido uma baixa nos últimos anos, a busca pela madeira em si aumenta cada vez mais. “Seja para muros, janelas, portas, detalhes internos ou externos, o clientes procuram bastante”, diz, ao lembrar que “uma residência de madeira pode ser tão ou mais durável que uma de alvenaria. Fazendo a manutenção correta, pintando, trocando as calhas vez por outra, ela dura 30, 40 anos, aparentando ser recém-construída”, expõe.

Fonte: Ápice Comunicação/ Samira Pereira

IMAGENS